Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/06/14 às 20h49 - Atualizado em 29/10/18 às 15h45

Secretaria de Transparência recebe representantes de empresa britânica de tecnologia

COMPARTILHAR

Executivos apresentaram o sistema Anomaly 42, que funciona como um integrador de dados públicos

 

Gestores da Secretaria de Transparência e Controle do Distrito Federal (STC) reuniram-se nesta sexta, 13, com uma comitiva da empresa britânica de TI Anomaly 42.

 

O encontro foi solicitado pela companhia – em expansão para a América Latina, tendo o Brasil como praça prioritária -, que realizou a apresentação de um sistema homônimo, construído com a tecnologia Big Data, cuja finalidade é integrar dados públicos em uma plataforma.

 

O Anomaly 42 foi apresentado pelos diretores da empresa como uma solução tecnológica que casa com o momento atual de transparência dos dados públicos, podendo ser utilizado pelos órgãos de governo para disponibilizar as informações ao cidadão por meio dos portais da transparência.

 

O sistema também tem funcionalidades que utilizam inteligência artificial para cruzar informações utilizadas por órgãos de controle e correição.

 

Os executivos chegaram à STC após terem visitado a Controladoria-Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério da Justiça e Secretaria de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal (Seplan) – que também são clientes potenciais.

 

Doug Brown, Chefe de Inovação da empresa, expôs detalhes do funcionamento do Anomaly 42 apresentando cases de outros clientes. “Em janeiro deste ano, o jornal Financial Times fez uma avaliação positiva sobre o nosso sistema, ressaltando as suas potencialidades na investigação de fraudes”, afirmou.

 

Dois grandes clientes da Anomaly 42 são o Sistema de Prevenção de Fraudes da África do Sul e o Sistema Regulador Financeiro de Londres. Em ambos, a plataforma cruza informações em várias interfaces – mídias sociais, documentos, e-mails, relatórios e gravações de áudios – e as disponibiliza em tempo real.

 

Para Vladimir Wuerges, chefe da Unidade de Administração Tecnológica (UAT) da STC, é necessário realizar um teste piloto por tempo determinado para analisar se as demandas da Secretaria podem ser atendidas. “O sistema apresentado causou-nos uma ótima impressão. Como próximos encaminhamentos, temos que avaliar como ele pode atender demandas da STC e de outros órgãos do GDF. Dessa maneira, podemos trabalhar com exemplos práticos e fornecer um parecer bem fundamentado acerca da aderência do sistema às necessidades da Secretaria”, afirmou.

 

Além de Doug, participaram do encontro Neil Storey, Diretor para a América Latina, André Neves, da empresa brasileira CAST Informática, representante da Anomaly no Brasil, e Ricardo Vilella, assessor do UKTI, órgão do Governo do Reino Unido com representação na embaixada britânica equivalente a uma agência de promoção de exportação e investimentos.

Da STC, além de Vladimir, participaram Soraia Mello, Subsecretária de Transparência e Prevenção da Corrupção, Edilson Vasconcelos, Diretor de Transparência, Andréa Souza, Gerente de Informações de Transparência, Naum dos Santos, Diretor de Controle Social, Guilherme Melo, Chefe do Observatório do Gasto Público, Débora Gonçalves, Diretora de Produção de Informações Estratégicas do OGP e Eda Silva, Assessora Especial do Gabinete.