Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/10/17 às 17h53 - Atualizado em 29/10/18 às 15h36

IX Fórum Brasileiro de Atividade de Auditoria Interna Governamental

COMPARTILHAR

CGDF apresentou  experiência com a implantação do IA-CM

 

O controlador-geral do DF, Henrique Ziller, e a auditora de controle interno e chefe da Assessoria de Harmonização Central da CGDF, Liane Angoti, foram palestrantes no IX Fórum Brasileiro da Atividade de Auditoria Interna Governamental, que aconteceu no auditório do Superior Tribunal de Justiça (STJ), dias 19 e 20 de outubro.

 

Representantes de diversos órgãos públicos federais participaram de palestras e debates na programação do Fórum, promovido pelo Conselho de Dirigentes de Órgãos de Controle Interno da União – Dicon.

 

A palestra sobre “Modelos de avaliação da atividade de auditoria interna IA-CM” foi proferida pela auditora de controle interno Liane Angoti. Ela explicou que o Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM) foi criado entre 2006 e 2009 pelo Instituto dos Auditores Internos (IIA), sob promoção do Banco Mundial. O modelo de governança foi apresentado e detalhado em seu funcionamento.

 

O IA-CM discute e analisa as boas práticas de gestão, planejamento estratégico, gestão de risco e orçamento, entre outros pontos. Segundo Angoti, “a ferramenta traz os fundamentos para que uma auditoria interna atue de maneira efetiva, com resultados”. A avaliação do nível de maturidade da organização no modelo é feita a partir de uma escala de cinco níveis: inicial, infraestrutura, integrado, gerenciado e otimizado, nível que nenhum país ainda atingiu em sua plenitude.

 

A palestrante também enfatizou a importância de institucionalizar macroprocessos referentes a cada nível do modelo. Angoti ressalvou que, por se tratar de uma referência internacional, o padrão pede algumas adaptações.

 

“É importante lembrar que, por ser um modelo internacional referencial, existem particularidades no nosso país que precisam ser consideradas. Vamos particularizar para a realidade do Brasil e vamos dar capacitação e treinamento para que o servidor tenha condições de usar o modelo”, incentivou.

 

Referência nacional

Nas exposições de Boas Práticas, o controlador-geral do Distrito Federal, Henrique Moraes Ziller, descreveu a experiência da implantação do IA-CM pela Controladoria-Geral do DF. “O que orienta a nossa atuação na CGDF é a busca desse modelo de excelência, de qualificação do órgão de controle interno que é o IA-CM”, explicou.

 

A implementação começou em 2015 e muitos projetos estão em desenvolvimento como, por exemplo, a gestão de riscos.

Ziller enfatizou a reestruturação da unidade responsável pelo controle interno, que teve suas atividades divididas em “auditoria” e “inspeção”, conforme melhores práticas internacionais.

 

“Vejo a cada dia um trabalho mais maduro. O nosso objetivo é atingir o nível quatro do IA-CM até 2019. Hoje, queremos nos posicionar como órgão referência no controle interno e procuramos disseminar essa experiência, porque entendemos que é uma excelente referência para a qualificação das ações de controle interno no país”, concluiu.