Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/09/18 às 16h41 - Atualizado em 5/12/18 às 12h18

Controladoria na Escola: relatórios das auditorias cívicas são entregues para comunidade escolar

COMPARTILHAR

Número de pessoas envolvidas no projeto surpreende

 

O projeto Controladoria na Escola concluiu nessa semana (24 a 27.09) a etapa de apresentação do relatório da Auditoria Cívica para a comunidade escolar. A atividade foi desenvolvida em cada uma das escolas inscritas e envolveu a participação de 9.032 pessoas, entre estudantes, professores, servidores e pais de alunos.

 

De acordo com a equipe da Subcontroladoria de Transparência e Controle Social (SUTCS), responsável pela execução da iniciativa, o número é muito expressivo, pois a atividade atingiu um grupo além daqueles diretamente envolvidos no projeto. Atualmente estão inscritos 4.716 estudantes e 277 professores orientadores.

 

A apresentação do relatório é o momento onde a escola se reúne para discutir os apontamentos da auditoria cívica e propor soluções para os problemas encontrados. “Esse debate é um momento rico e que estimula a participação e a mobilização das escolas para produzir mudanças na comunidade escolar”, afirma Elisa Ribeiro da Cunha, assessora especial da SUTCS.

 

Após esse debate, cada escola vai planejar um “Desafio”, que é um projeto para melhorar algum aspecto ambiente escolar.

Até o dia 8 de outubro, as escolas estão envolvidas na Tarefa Especial. Os alunos terão que produzir um vídeo com o tema “Transforme a sua escola num ambiente de integridade”, contando a experiência ao participar do projeto.

 

 

 

Confira alguns depoimentos de participantes do CNE:

 

  • Pedro Faustino de Oliveira Rodrigues de Melo, do Centro de Ensino Médio Paulo Freire: “Acho que a Controladoria é importante para despertar a responsabilidade de cada um. Acredito que um problema grave do Brasil é apontar os problemas, criticar bastante, mas não dar uma solução, não querer solucionar; e é isso que a Controladoria faz: nos ajuda a identificar os problemas e nos incentiva a buscar soluções, o que é muito positivo”.

 

  • Cida Oliveira, vice-diretora do Cora Coralina: “Excelente iniciativa. A escola tem papel fundamental na formação de cidadãos conscientes de sua responsabilidade pela coisa pública. Precisamos superar o paradigma de que a escola pública é do governo. Ela é de todos! A administração pública só existe para bem servir ao cidadão.  Além disso, ao avaliar os espaços da escola o estudante é levado a refletir sobre o seu agir no dia a dia, a repensar suas práticas e a assumir a condição de ser atuante e necessário para a melhora do seu espaço. Esse aprendizado ele levará para sua casa, sua vida pessoal e profissional”.

 

  • Pompílio Barros Monteiro, pai de aluno do SESI Sobradinho: “Interessante porque o projeto traz a proposta de integração. Muitas vezes os pais são fadados a ficar alheios às atividades escolares e esse projeto vem trazer essa interação, vem unir de fato, integrar os alunos aos familiares e isso é muito bom, nos torna mais participantes, é muito positivo”.

 

  • Ian Arruda Nunes, do CED Lago norte: “Antes do projeto os alunos estavam acomodados e agora  eles estão tomando a frente da escola e pensando nas coisas. Como é possível que uma escola como a nossa não tenha grêmio? Então, a gente tem que fazer o grêmio. Pensar assim: “está ruim isso?”, e aí ter um grupo de estudantes para tomar a frente, fazer as coisas e conversar com a direção e o governo sobre o que está faltando e que pode melhorar. Eu acho que o projeto da Controladoria na Escola ajuda a todo mundo pensar como melhorar a escola. Se a gente não fizer nada, não muda. Então a gente pode acender uma luz na cabeça de cada um e pensar em como contribuir. Eu acredito que é possível mudar“.

 

Por: Cristiane Pitta