Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/10/16 às 17h46 - Atualizado em 29/10/18 às 15h13

Controladoria-Geral do DF busca modernização de suas normas e alinhamento às melhores práticas de controle interno

COMPARTILHAR

Reunião técnica trata da Estrutura Internacional de Práticas Profissionais, ética e avaliação de qualidade

 

A Controladoria-Geral do DF iniciou a revisão da Portaria nº 226, de novembro de 2015, que disciplina a realização das ações de controle na Administração Direta e Indireta do Poder Executivo do Distrito Federal, na condição de Órgão Central de Controle Interno. A norma passa por processo de revisão face à necessidade de modernização e alinhamento a referenciais internacionalmente reconhecidos como boas práticas no âmbito do controle interno.

 

Neste sentido, a CGDF promoveu no último dia 20, na Escola de Governo, uma reunião técnica para tratar sobre a Estrutura Internacional de Práticas Profissionais de Auditoria interna – IPPF, ética e avaliação de qualidade. O objetivo foi abordar a evolução das práticas de controle interno, considerando a atuação moderna da auditoria, e trazer para o âmbito da Controladoria do DF aquilo que necessita ser atualizado no que diz respeito às suas normas.

 

A reunião foi iniciada pelo auditor de controle interno e presidente da Comissão de Ética da CGDF, João Batista de Souza Machado, que falou da ética na administração pública. Ele discorreu sobre as qualidades exigidas na atitude profissional dos servidores e os princípios constitucionais que norteiam o ambiente público.

 

Também, Machado falou da gestão da ética no GDF com a publicação, neste ano, do Decreto nº 37.297, que contempla os Códigos de Conduta da Alta Administração e de Ética dos Servidores e Empregados Públicos Civis do Poder Executivo do Distrito Federal, e institui as Comissões de Ética no Poder Executivo do Distrito Federal.

 

O assessor especial de controle interno do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Rodrigo Fontenelle, foi convidado a falar sobre a Estrutura Internacional de Práticas Profissionais, base conceitual que organiza as informações oficiais promulgadas pelo Institute of Internal Auditors – IIA. Fontenelle apresentou os principais pontos das normas internacionais para auditoria interna, abordou o papel da auditoria com relação a riscos e controles, e citou a modernização feita pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União em suas normas.

 

O encerramento da reunião foi feito pela auditora de controle externo do Tribunal de Contas da União, Sônia Maria de Castro, que apresentou a experiência daquela Corte de Contas na “Avaliação de Qualidade”, procedimento previsto na Estrutura Internacional de Práticas Profissionais.

 

O subcontrolador de controle interno da CGDF, Lúcio Pinho de Carvalho Filho, destacou a importância do encontro, voltado para os integrantes da carreira de controle interno do GDF. “Pela primeira vez realizamos um evento para tratar das normas internacionais. Estamos em processo de revisão da portaria que disciplina nossa atividade e necessitamos buscar uma atuação moderna da auditoria, de acordo com as melhores práticas”, disse o subcontrolador.