Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/09/16 às 12h55 - Atualizado em 29/10/18 às 15h46

Resultado de auditoria em escolas é apresentado à Secretaria de Educação

COMPARTILHAR

Projeto da Controladoria-Geral envolveu alunos de Samambaia e de Ceilândia, que fiscalizaram as unidades de ensino em que estudam. Relatórios foram entregues na sexta-feira (2) em solenidade no Palácio do Buriti.

 

Problemas de infraestrutura, de segurança e de merenda escolar estão entre os mais apontados por alunos da rede pública no relatório final do Controladoria na Escola. Os dados foram apresentados pela Controladoria-Geral do Distrito Federal à Secretaria de Educação nesta sexta-feira (2), no Salão Branco do Palácio do Buriti. O projeto faz parte do Brasília Cidadã, programa que visa estimular a participação e o controle social.

 

Trezentos e quinze alunos dos ensinos fundamental e médio do Centro de Ensino Fundamental 404 e do Centro Educacional 123, ambos de Samambaia, e do Centro Educacional Incra 9, de Ceilândia, atuaram como fiscais onde estudam.

 

A aluna do terceiro ano do ensino médio do Incra 9 Victória Moreira, de 17 anos, afirma que a ação da controladoria foi importante para sugerir propostas. “Nem sempre percebemos do que a escola está precisando e, com a atividade, pudemos destacar o que deve melhorar.”

 

Também aluno do Incra 9, Lucas Luiz Soares, de 17 anos, conta que o projeto desenvolveu ainda a conscientização sobre direitos e deveres no colégio. “Tem coisas, como a limpeza, que são responsabilidade nossa”, exemplificou. Uma das sugestões dos estudantes do centro educacional foi um mural da transparência para indicar a aplicação das verbas da unidade de ensino.

 

Para o controlador-geral do DF, Henrique Ziller, a principal contribuição do Controladoria na Escola é criar uma cultura da fiscalização. “O objetivo é inserir o aluno na participação social, fazer com que ele verifique as necessidades e esteja consciente de poder exigir”, resumiu.

 

O subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação, da Secretaria de Educação, Fábio Pereira de Sousa, recebeu o relatório com os problemas das três escolas e adiantou que haverá ações para melhorar as condições de ensino apresentadas.

 

“O aluno percebe a escola como um patrimônio dele e da comunidade”, destacou a colaboradora do governo Márcia Rollemberg, esposa do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. Ela acredita que o projeto é importante para estimular a cidadania na capital e permitir que adolescentes aprendam como controlar ambientes públicos.

 

A controladoria desenvolve o projeto em outras sete escolas no Distrito Federal escolhidas por estarem em áreas de vulnerabilidade social. Em 120 dias, o órgão voltará às unidades de ensino auditadas para verificar se os problemas apontados pelos alunos foram solucionados.

Como funciona o Controladoria na Escola

O projeto é feito em quatro etapas. Na primeira, uma peça de teatro mostra aos alunos a importância da participação social na vida pública. Depois, há um debate sobre temas como ética, cidadania e controle feito pela sociedade.

Na terceira parte, os alunos respondem a questionários de avaliação das estruturas, das aulas e dos ambientes próximo às escolas. Na quarta e última fase, os pontos levantados pelos alunos são reunidos em um relatório, levado ao órgão competente para que se busquem soluções.

O que é o programa Brasília Cidadã

O objetivo do Brasília Cidadã é identificar e reunir atividades promovidas por vários órgãos em um só programa, além de estimular, divulgar, valorizar e reconhecer as diferentes instâncias de participação.

Entre as ações de participação popular que têm sido desenvolvidas pelo governo de Brasília estão a Roda de Conversa, o Voz Ativavisitas na Residência Oficial de Águas Claras, audiências e consultas públicas e redes de ouvidoria.