Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/12/13 às 18h40 - Atualizado em 29/10/18 às 15h17

Processos contra danos ao erário ressarciram mais de R$ 2,4 milhões ao GDF em 2013

COMPARTILHAR

Esse dado foi divulgado em balanço parcial da Subsecretaria de Tomada de Contas Especial. Decorrente dos ressarcimentos parcelados, está garantido que os cofres públicos devem receber mais de R$ 5 milhões

 

Diógenes Santos, da Ascom/STC

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) recebeu R$ 2.483.981,24 a título de ressarcimento de recursos públicos com a realização de recomposição de prejuízos decorrente das ações da Subsecretaria de Tomada de Contas Especial (SUTCE), unidade da Secretaria de Transparência e Controle do DF (STC). O valor corresponde à soma dos meses de janeiro a novembro, conforme Relatório de Atividades divulgado pela SUTCE no site da STC.

 

Em comparação ao ano de 2010, o valor já aumentou em sete vezes. Naquele ano, os processos resultaram na devolução de R$347.162,44 (confira no gráfico a evolução dos valores).

 

Quadro de Evolução do Ressarcimento

Valor total efetivamente ressarcido:

2010

2011

2012

2013*

R$ 347.162,44

R$ 1.019.324,03

R$ 2.156.590,19

R$ 2.483.981,24

*parcial: janeiro a novembro

 A Tomada de Contas Especial é um processo que visa reparar qualquer tipo de dano ao erário, seja ele pela prática de um ato ilegal, ilegítimo ou antieconômico, a omissão de prestação de contas, ato não comprovado da aplicação regular de recursos, desfalques ou desvios.

 

Qualquer pessoa, física ou jurídica, que estabeleceu algum tipo de convênio ou ajuste com o poder público, e deve prestar contas, pode responder a um procedimento desse tipo.

 

NÚMEROS – A SUTCE concluiu 660 processos de janeiro a novembro de 2013. Quase a metade deles – 319 – foi encerrada ainda na Atividade de Instrução Prévia, uma fase preliminar dos trabalhos em que se tenta um acordo com a parte envolvida.

 

Além desses já concluídos, ainda há mais 164 processos em análise na fase da Atividade de Instrução Prévia.

 

A Tomada de Contas Especial, embora seja a atividade-fim da SUTCE, é um procedimento mais caro e demorado para Administração Pública e tem sido a última opção quando as tentativas de acordo anteriores falham. Ela foi adotada em 341 casos. O valor inicial dessas ações somou R$ 34.114.470,68, mas, após a análise dos dados, constatou-se prejuízo de R$ 19.206.356,18.

 

Do total de processos nesse caso, 119 eram classificados como “Acima da Alçada”, cujo valor ultrapassa os R$ 25 mil e 171 com “Decreto”, quando envolvem dirigentes da administração direta, autarquias e fundações. “Nós damos prioridade a esses casos por serem mais relevantes em termos de matéria e valores”, explica a Subsecretária de Tomada de Contas Especial, Jackeline Viana da Costa.

 

Os 51 demais processos estão classificados entre “Abaixo da Alçada”, cujo valor a ser ressarcido é menor que R$ 25 mil (28 processos), e “Diligências”, quando são demandas da Controladoria-Geral do GDF ou do TCDF (23 processos).

 

TRÂMITES – Jackeline esclarece, porém, que muitas vezes o próprio órgão que sofreu o dano consegue compor um acordo, em razão do que é estabelecido no artigo 20 da Instrução Normativa nº 05/2012, editada pela STC. “Por isso, o processo pode nem vir para a SUTCE. A atuação dos órgãos do GDF para fazer acordos visando a reparação de danos também cresceu em uma porcentagem equivalente”, afirma.

 

“Agradeço o esforço, a dedicação e o empenho com que a Equipe da SUTCE tem realizado seus trabalhos. Parabenizo a todos pela execução célere e comprometida do Cronograma de Encerramento dos Processos, o que reduziu sobremaneira o número de processos em trâmite na Subsecretaria de Tomada de Contas Especial”, ressalta a Subsecretária.