Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/04/19 às 17h56 - Atualizado em 29/04/19 às 16h40

População marca presença no lançamento do projeto “De Olho na Saúde” no Paranoá

COMPARTILHAR

Diversos serviços foram oferecidos à comunidade, como atendimentos nas áreas jurídica e de psicologia

 

A comunidade das cidades do Paranoá, São Sebastião e Itapoã participou, na manhã dessa terça-feira (09/04), no Hospital Regional do Leste (HRL), no Paranoá (DF), do lançamento do projeto piloto de controle social “De Olho na Saúde”, da Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF). O HRL, antigo Hospital Regional do Paranoá, atende duas mil pessoas por mês, das referidas cidades.

 

Esse engajamento dos moradores conversa com o objetivo do projeto que é estimular a participação ativa da comunidade em auditorias cívicas, para aprimorar os serviços públicos prestados pelas unidades de saúde do DF.

Diversos serviços gratuitos foram oferecidos à comunidade, como a Ouvidoria Itinerante da Secretaria de Saúde, atendimento jurídico com advogados da Subseção da OAB do Paranoá, atendimento voltado à saúde da mulher, em parceria com a Secretaria da Mulher.

 

Alunos do Centro Universitário UDF realizaram atendimento voluntário em psicologia, fisioterapia, educação física (alongamento), e farmácia, com teste glicêmico, medição da pressão arterial e orientações gerais. No ‘Escovódromo’ estava o SESC, com a ajuda dos alunos de odontologia da UDF, para passar dicas de saúde bucal aos adultos e às crianças. Foram distribuídos no local 600 kits de escovação. O próprio HRL ofereceu, ainda, uma tenda de oftalmologia para fazer exames.

 

“Já participei da oftalmologia. Eu e meu filho fizemos o exame e pegamos a receita. Participamos da odontologia e fomos encaminhados. E participei agora do exame de glicemia”, disse a moradora do Paranoá Parque, Tatiane Santos.

 

Dona Abigail, também moradora do Paranoá Parque, levou o filho especial ao evento. De acordo com ela, o filho que é portador de necessidades especiais, hoje com 20 anos, sofreu com meningite aos nove meses. “Está sendo muito bom. No meu caso que tenho problema com depressão e faço tratamento há mais de dez anos, acho muito bom interagir com as pessoas, e também pelo meu amor (filho) que está interagindo. Ele gostou muito”, contou.

 

Dona Zefinha, 93 anos, há 17 anos como conselheira de saúde do Paranoá, presidente do Centro de Convivência do Idoso há 28 anos, nunca faltou a nenhuma reunião do conselho e adorou o projeto. “O governo faz a parte dele, mas com a ajuda da sociedade dá mais força. Eu acho que é muito importante. Esse projeto caiu do céu para fortalecer a nossa saúde, principalmente para o idoso, que já está no fim da vida, mas precisa viver com dignidade”, afirmou.