Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/12/09 às 3h00 - Atualizado em 29/10/18 às 15h38

Obras da linha verde não terão atraso

COMPARTILHAR

Em reunião nesta quinta-feira (17) com representantes do consórcio responsável pela ampliação e recuperação da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), a chamada Linha Verde, o governador José Roberto Arruda obteve a garantia de que o cronograma de obras não será afetado. “Além de sua importância para o sistema viário da cidade, esta obra está aquecendo o mercado de trabalho com a geração de 1190 empregos diretos e outros 2000 indiretos”, ressaltou Arruda.

Segundo o secretário de Transportes, Alberto Fraga, que acompanhou o governador, o andamento dos serviços não sofrerá atrasos nem mesmo durante as festas de final de ano e no Carnaval. “O trabalho está sendo realizado normalmente e as etapas estão sendo executadas dentro do prazo previsto”, explicou Fraga. A previsão é de que a obra seja inaugurada em 30 de junho de 2010, de acordo com o secretário.

Durante o encontro, ocorrido no canteiro de obras próximo ao Conjunto Habitacional Lúcio Costa, técnicos das empreiteiras apresentaram os resultados obtidos até agora. A pista exclusiva para ônibus no canteiro central começou a ser pavimentada em concreto, material que aumenta a vida útil do piso.

A construção dos viadutos está adiantada em relação ao prazo estabelecido no cronograma.

Apenas o trabalho de terraplenagem sofreu um pequeno atraso em função das chuvas, que impedem principalmente a compactação adequada do solo. Em dias de sol, os operários trabalham em três turnos para recuperar o tempo perdido. Ao todo, 436 máquinas – 236 do consórcio e outras 200 locadas – trabalham na modernização da via mais movimentada do DF.

Orçada em R$ 240 milhões, a obra abrange um trecho de 12,7 quilômetros entre a entrada de Taguatinga e o acesso à Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA).

Principal artéria do sistema viário, a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) vai dobrar de tamanho para comportar os 140 mil veículos que circulam por lá todos os dias. Além de ganhar vias marginais nos dois sentidos, a EPTG contará com seis faixas de rolamento de cada lado – inclusive um corredor exclusivo para ônibus– e asfalto novo nas pistas já existentes.

Cinco novos viadutos facilitarão o acesso a Águas Claras, Guará, Setor de Indústria e Abastecimento, à pista do Jóquei e à EPIA. Pedestres contarão com 17 passarelas com estações para embarque e desembarque de passageiros.

Isaac Marra – Agência BrasíliaEm reunião nesta quinta-feira (17) com representantes do consórcio responsável pela ampliação e recuperação da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), a chamada Linha Verde, o governador José Roberto Arruda obteve a garantia de que o cronograma de obras não será afetado. “Além de sua importância para o sistema viário da cidade, esta obra está aquecendo o mercado de trabalho com a geração de 1190 empregos diretos e outros 2000 indiretos”, ressaltou Arruda.

Segundo o secretário de Transportes, Alberto Fraga, que acompanhou o governador, o andamento dos serviços não sofrerá atrasos nem mesmo durante as festas de final de ano e no Carnaval. “O trabalho está sendo realizado normalmente e as etapas estão sendo executadas dentro do prazo previsto”, explicou Fraga. A previsão é de que a obra seja inaugurada em 30 de junho de 2010, de acordo com o secretário.

Durante o encontro, ocorrido no canteiro de obras próximo ao Conjunto Habitacional Lúcio Costa, técnicos das empreiteiras apresentaram os resultados obtidos até agora. A pista exclusiva para ônibus no canteiro central começou a ser pavimentada em concreto, material que aumenta a vida útil do piso.

A construção dos viadutos está adiantada em relação ao prazo estabelecido no cronograma.

Apenas o trabalho de terraplenagem sofreu um pequeno atraso em função das chuvas, que impedem principalmente a compactação adequada do solo. Em dias de sol, os operários trabalham em três turnos para recuperar o tempo perdido. Ao todo, 436 máquinas – 236 do consórcio e outras 200 locadas – trabalham na modernização da via mais movimentada do DF.

Orçada em R$ 240 milhões, a obra abrange um trecho de 12,7 quilômetros entre a entrada de Taguatinga e o acesso à Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA).

Principal artéria do sistema viário, a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) vai dobrar de tamanho para comportar os 140 mil veículos que circulam por lá todos os dias. Além de ganhar vias marginais nos dois sentidos, a EPTG contará com seis faixas de rolamento de cada lado – inclusive um corredor exclusivo para ônibus– e asfalto novo nas pistas já existentes.

Cinco novos viadutos facilitarão o acesso a Águas Claras, Guará, Setor de Indústria e Abastecimento, à pista do Jóquei e à EPIA. Pedestres contarão com 17 passarelas com estações para embarque e desembarque de passageiros.

Isaac Marra – Agência Brasília

Leia também...