Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/05/16 às 20h38 - Atualizado em 29/10/18 às 15h14

Controladoria-Geral do DF promove I Semana de Capacitação e Aperfeiçoamento em Controle Interno

COMPARTILHAR

O encontro discutiu temas que buscam uma gestão pública mais preventiva

 

Entre os dias 9 e 13 de maio, a Controladoria-Geral do DF promoveu a I Semana de Capacitação e Aperfeiçoamento em Controle Interno, voltada para apresentação, aos auditores e servidores da área de controle interno, de informações referentes aos trabalhos que vêm sendo desenvolvidos pelas diversas coordenações da Subcontroladoria de Controle Interno da CGDF e de temas relacionados ao controle interno com aspectos de fomento, integridade, social e agregação de valor à gestão governamental.

 

Servidores de carreira de Auditoria de Controle interno do Distrito Federal assistiram palestras e participaram de oficinas que abordaram, entre outros temas, avaliação IA-CM, implantação da gestão de riscos, auditorias preventivas e concomitantes, além de novos recursos dos sistemas de tecnologia da informação.

 

Participaram da mesa de abertura no Salão Branco do Palácio do Buriti o Controlador-Geral, Henrique Ziller, o Controlador-Geral adjunto, Marcos Tadeu, o Subcontrolador de Controle Interno, Lúcio Pinho Filho, o diretor da Escola de Governo do Distrito Federal, José Wilson Granjeiro, e o diretor do Sindicato dos Servidores Integrantes da Carreira Auditoria de Controle Interno do Distrito Federal, Duílio Lemos.

 

Para o Controlador-Geral adjunto, tudo começou com uma mudança estrutural profunda. “Passamos a adotar visão muito diferenciada do que se imaginava do controle do DF. A visão agora é mais preventiva, agregando valores à gestão. Estamos colocando em prática o projeto de gestão de riscos, que gera resultados positivos. A proposta é inovadora, vai criar base muito interessante para o futuro”, conclui Marcos Tadeu.

 

O Subcontrolador de Controle Interno, Lúcio Pinho Filho, agradeceu o interesse dos servidores ressaltando que todos são responsáveis por um processo administrativo indispensável à execução das políticas públicas de controle. Destacou que há nova visão, focada em auditorias voltadas para a análise da efetividade das políticas públicas. “Eu acredito que o meu trabalho possa contribuir para a melhoria da vida das pessoas da nossa cidade. Essa é uma das metas do nosso planejamento estratégico”, finalizou Lúcio.

 

Maria João Kaizeler – especialista em gestão financeira do Banco Mundial e palestrante convidada para a exposição sobre “O modelo IA-CM”, destacou a importância de plano de carreira para o auditor, o que trará mais motivação e garantia profissional. “O auditor deve ser proativo e não reativo, devendo estar sempre motivado a saber mais do seu universo, das unidades que irá auditar e desenvolver mecanismos específicos para cada auditoria”, acrescentou Maria João.

 

A auditora de controle interno e assessora especial da Subcontroladoria de Controle Interno da Controladoria-Geral, Liane Vasconcelos Araújo Angoti , falou sobre “O Mapa de Produtos do Modelo IA-CM/CGDF”, seguida do professor Antônio Nascimento Júnior – Vice-Diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – FACE/UNB que fez exposição sobre “A Importância da Cooperação Técnica entre a Academia e o Governo”. Finalizando as palestras, o professor Peter Matthias Gehard Dostler – Diretor Executivo da School of International Business and Entrepreneurship (Steinbeis University Berlin) fez explanação sobre “Habilidades Pessoais para Trabalhos de Natureza Consultiva”.

 

Dos dias 10 a 13, a programação aconteceu na Escola de Governo. A cada dia um palestrante convidado apresentou tema relevante. “Aspectos Históricos da Corrupção e do Controle Interno no Brasil”, abordagem feita por Gilson Chagas, professor e mestre em ciências empresariais; “O Controle Interno como Elemento de Agregação de Valor à Gestão Governamental”, tema discorrido pelo professor e mestre em ciências contábeis, Tiago José Gonzaga Borges, e “O controle interno e o fomento à integridade na administração pública”, palestra do professor e mestre em ciências políticas Flávio Pereira de Sousa.

 

Nesses três dias, no período vespertino, a capacitação continuou com exposições de auditores da CGDF apresentando trabalhos feitos no âmbito da Subcontroladoria de Controle Interno, novos projetos e a visão estratégica.

 

No encerramento, o Controlador-Geral fez uma reflexão sobre o atual cenário político e econômico do país e assegurou que o momento é oportuno para avançar e propor mudanças que possam garantir efetividade das ações de controle. Ziller ponderou que a capacidade dos órgãos de controle de influenciar a realidade, a execução orçamentária e as políticas públicas são reduzidas e o Brasil precisa de uma mudança incremental nesse sentido. “É o momento adequado para avançar no controle. A sociedade está esperando que o governo dê respostas concretas a respeito do combate à corrupção”, disse.